Marketing Digital: 4 erros que prejudicam a sua empresa

Sua marca pode ser destaque no mercado ou ser novata no ramo dos negócios. Porém, uma coisa é certa, sua empresa não deve utilizar a intuição ou realizar ações na Internet sem planejamento. Uma vez que, qualquer erro de posicionamento ou comunicação com o público online pode ser crucial para a sobrevivência da empresa. Para evitar esse tipo de erro, a solução é investir em Marketing Digital.

Com a intenção de trazer valor para as marcas, converter leads em clientes e manter o ritmo de vendas aquecido surge a estratégia de marketing. Mas, se a sua empresa não faz um planejamento de Marketing Digital baseado em pesquisas e métricas, seu negócio pode cometer erros significativos que prejudicam suas atividades e, consequentemente, te fazem perder tempo e dinheiro.

É neste artigo que você vai saber quais erros não podem ser cometidos ao elaborar a estratégia de Marketing Digital da sua empresa. Não perca!

O que não fazer ao elaborar a estratégia de Marketing Digital

A seguir, confira 4 erros cometidos na estratégia de Marketing Digital que atrapalham o sucesso da sua marca na Internet. Além disso, conheça dicas que vão te ajudar a não errar na comunicação com o cliente virtual.

Esquecer as métricas de performance

Sem dúvidas, é fundamental que você analise os impactos que as ações digitais trazem à sua empresa. Desse modo, não adianta executar ações e não acompanhar de perto os reflexos para a imagem do seu negócio.

Nesse sentido, as métricas de performance do Marketing Digital são os indicadores que acompanham o impacto dos seus conteúdos e campanhas nos veículos digitais. Isto é, proporcionam dados sobre as etapas da sua estratégia. Logo, fornecem informações para fortalecer o nome da empresa no mercado e alavancar as vendas.

Não planejar a estratégia de Marketing Digital

De fato, seus clientes podem estar em estágios diferentes do funil de vendas. Ou seja, alguns podem estar em fase de fidelização e outros em um processo de retenção. Por esse motivo, não é possível elaborar uma estratégia padrão que se encaixa a todos os seus clientes.

Desse modo, sua empresa precisa interagir e saber quais os objetivos e pretensões reais de cada cliente. Com isso, terá suporte para elaborar uma estratégia de marketing digital eficaz e individualizada. Além do mais, sua produção de conteúdo será mais direcionada e, como consequência, terá mais chances de criar empatia com o público-alvo. Em resumo, a sua estratégia de marketing deve ser personalizada e detalhada.

Não conectar as equipes de marketing e de vendas

Antes de tudo, o trabalho das duas equipes deve ser realizado em conjunto. Ou seja, o setor de marketing deve produzir material compatível com os desejos do cliente. Já o setor de vendas, por sua vez, deve manter a motivação de compra do cliente durante a negociação.

Em resumo, a equipe de vendas deve ser uma extensão da estratégia de marketing e não um setor isolado.

Não investir em pesquisa de campo

Com certeza, é fundamental conhecer todos os detalhes e particularidades da empresa. Ainda mais, buscar informações sobre clientes, fornecedores e concorrentes é obrigatório para elaborar a estratégia de marketing da sua empresa. Uma boa pesquisa de campo possui as seguintes etapas: observação de perfil, coleta de dados e análise de mercado.

Por fim, a pesquisa deve ser levada a sério na etapa de planejamento da estratégia de Marketing Digital pois é capaz de fornecer uma análise completa da área de atuação da sua empresa.

Conclusão

Com um mercado cada vez mais competitivo, um erro de posicionamento pode ser crucial para a sobrevivência da empresa. Por essa razão, é extremamente necessário investir em uma estratégia que traga resultados concretos.

Por fim, se você quer destacar sua marca no ambiente digital, agende uma consultoria comigo. Juntos vamos analisar sua área de atuação e planejar as melhores ações para alcançar o sucesso.

Fonte – Imagem: www.freepik.com

Press Kit: confira como montar o kit ideal e ser destaque na mídia

Mulher sorrindo na frente de várias caixas de amostras (Press Kit).

Você quer ganhar espaço na grande mídia? Ou ser citado em diferentes meios de comunicação?

Definitivamente, ser presença constante na mídia é um grande diferencial para a sua marca. Isso porque essa divulgação pode gerar tráfego bastante significativo para o seu produto ou serviço.

Falando nisso, você sabia que esse é o papel do Press Kit, também conhecido como Mídia Kit?

Acompanhe o artigo de hoje e veja como se destacar nos holofotes.

Entenda o que é um Press Kit

Você pode elaborar o seu Press Kit diretamente no seu site. Em poucas palavras, pode ser uma aba da sua página virtual com informações gerais da sua empresa.

Em tese, é inserir em um mesmo lugar dados e informações que sejam úteis para os profissionais da comunicação elaborarem conteúdo sobre a sua marca. Dessa forma, você facilita o trabalho da imprensa.

Porém, vale lembrar que o Press Kit não é limitado somente a imprensa. Você pode direcionar seu material para personalidades do cenário online. Tais como: blogueiros, podcasters e influenciadores digitais.

Afinal, ao conhecer seu produto, eles podem fazer publicidade espontânea da sua marca e aumentar sua área de atuação. Desse modo, quando recebem o Mídia Kit podem auxiliar no processo de divulgação de novas campanhas publicitárias e de possíveis eventos da marca.

Em resumo, o Mídia Kit é uma ponte para os profissionais da mídia e influenciadores entenderem da melhor maneira o seu produto e posicionamento no mercado.

Tipos de Press Kit

A princípio, existe o formato digital que possibilita inserir em seu site informações sobre a sua marca – o chamado kit de imprensa eletrônico (EPK). Via de regra, é um processo simples. Basta disponibilizar uma aba ou link no menu de navegação.

De maneira geral, o Press Kit eletrônico fica disponível nos seguintes links: Sala de Imprensa ou Imprensa. Normalmente, é inserido no rodapé dos sites para não prejudicar a navegabilidade do usuário.

Outra alternativa é elaborar material físico. Nessa opção, você pode trabalhar com catálogos de imagens, mostruários, material impresso com informações técnicas e amostras.

Falando nisso, com certeza, você já visitou o Instagram de uma personalidade da internet e visualizou o story onde ela mostrava aos seguidores os famosos “recebidos”. Esses “recebidos” são um exemplo de Press Kit.

Como montar meu Mídia Kit?

Primeiramente, você deve inserir informações sobre a sua trajetória. Por exemplo, como surgiu a ideia, qual é a sua missão, visão e valores. Em suma, uma apresentação.

Ainda mais, você também pode inserir depoimentos de clientes fiéis e dar espaço para quem utiliza seu produto mostrar o ponto de vista. Com isso, seu material vai abrir espaço para empatia e avaliações reais.

Bem como, disponibilizar diversas imagens com boa resolução e citações prontas para ilustrar futuras matérias de divulgação.

Por fim, pode incluir amostras do produto. Assim, é possível mostrar as características e diferenciais da sua marca e criar uma boa impressão.

Conclusão

Definitivamente, o Press Kit é uma maneira de apresentar a sua marca ao mercado e de atingir diferentes públicos. Ao estar na mídia, você pode concretizar sua marca, alcançar um novo nicho comercial e aumentar o retorno financeiro.

E para elaborar o Press Kit perfeito você pode contar com a ajuda de uma consultoria de marketing.

Eu posso te ajudar! Entre em contato comigo. Juntos vamos elaborar um Mídia Kit que represente a essência da sua marca e que te destaque no mercado.

Fonte – Imagem: www.freepik.com

Metaverso: veja quais serão as profissões do futuro

Homem usando equipamento de realidade virtual

Atualmente, a palavra Metaverso aparece com frequência no nosso dia a dia. Porém, o termo ainda pode ser desconhecido para algumas pessoas. Com isso, algumas dúvidas vem à tona.

Por esse motivo, antes de falarmos das profissões, vamos entender o que é o Metaverso.

Não perca o artigo de hoje! Vem comigo!

Metaverso: o mundo imersivo

A palavra ganhou destaque em 2021 após Mark Zuckerberg alterar o nome do Facebook para Meta.

Porém, ela foi criada por Neal Stephenson em 1992. O termo apareceu pela primeira vez no livro de ficção científica “Snow Crash”. Inicialmente, o termo foi utilizado para descrever um ambiente virtual 3D onde as experiências são vividas por meio de avatares e projeções de pessoas reais. Logo, seria uma fuga da realidade.

Como as coisas funcionam?

De maneira geral, é necessária a junção de três realidades diferentes: a virtual, a mista e a aumentada.

Assim, é a junção de realidades que vai permitir viver experiências sensoriais e desenvolver diversas atividades por meio de avatares. Por exemplo, trabalhar, jogar, comprar, ganhar dinheiro, etc,.

Em resumo, o objetivo do Metaverso é construir um cenário onde os usuários se conectem e socializem com pessoas de qualquer parte do mundo. Dessa forma, para ir ao cinema ou assistir a um show com amigos não seria necessária a presença física, somente o encontro pelo Metaverso.

Profissões que podem surgir e ser destaque no Metaverso

A seguir, conheça quais profissões serão indispensáveis para a construção desse novo mundo imersivo.

Desenvolvedor de ecossistema

Para sair do campo das ideias, será necessário um profissional que construa esse mundo. Ainda mais, é ele que irá transportar para o universo imersivo tudo que já existe no nosso mundo físico real. Bem como, sua possível função seria: a criação e elaboração de leis, regulamentos e diretrizes que iriam organizar a vivência no Metaverso.

Além disso, vai buscar investimentos para garantir que as funcionalidades atendam grandes escalas. Parece bem complexo, não é mesmo?

Por fim, esse profissional deverá possuir experiência na área governamental e conhecimento amplo sobre o Metaverso.

Expert em cybersegurança

A previsão é que o Metaverso seja alvo constante de fraudes e ataques cibernéticos. Nesse sentido, alguns riscos são: o avatar ser hackeado e o vazamento de dados.

Serão esses especialistas que terão a missão de bloquear ataques indesejáveis e violações virtuais.

Expert em Experiência do Usuário

Certamente, ao abrir algum site na internet você já se deparou com alguma página em que havia excesso de anúncios. Provavelmente, no Metaverso a situação será semelhante. Ou seja, os anúncios publicitários serão uma forma de ganhar dinheiro.

Entretanto, para a experiência do usuário não ser desagradável, será de extrema importância um especialista que desenvolva uma experiência de navegação agradável aos usuários, sem o excesso de anúncios ou conteúdos indesejados.

Estrategista digital do Metaverso

Para executar um projeto uma coisa é fundamental: economizar tempo e dinheiro. É, justamente, nesse contexto que irá surgir o profissional que vai planejar e implementar funcionalidades que tragam retorno financeiro para as empresas.

Em síntese, é ele que vai buscar as melhores oportunidades de mercado e e irá executá-las da forma mais eficaz possível.

Engenheiro de Software

No cenário imersivo, serão necessários engenheiros de software com conhecimento em realidade aumentada e realidade virtual. Afinal, eles serão os responsáveis pelo desenvolvimento da plataforma de computação e dos aplicativos.

Portanto, esse profissional deverá ter amplo conhecimento em tecnologias 3D interativas.

Conclusão

Sem dúvidas, o Metaverso é uma tendência que está cada vez mais próxima. Além disso, é a possibilidade de um cenário múltiplo.

Ou seja, não é algo restrito apenas a jogos online extremamente realistas. Possivelmente, reuniões de trabalho, debates acadêmicos, apresentações artísticas e, até mesmo, os passeios nos momentos de lazer passarão por mudanças.

Por fim, se o artigo despertou sua curiosidade e você quer mais informações sobre o tema, entre em contato comigo.

Fonte – Imagem: www.freepik.com

CRM : saiba como a plataforma pode ajudar o seu time de vendas

Relacionamento entre vendedor e cliente.

Primeiramente, você sabe o que significa a sigla CRM?

Ao pé da letra, significa Customer Relationship Management, e em português: Gestão de Relacionamento com Clientes.

De maneira geral, é a ferramenta que vai te ajudar na organização dos seus contatos profissionais. Em outras palavras, a plataforma vai registrar e gerenciar toda a trajetória dos seus clientes.

Além de informações de contato, o CRM vai possibilitar o acesso ao histórico de compra e às particularidades de cada cliente.

Consequentemente, vai ajudar de maneira significativa o trabalho da sua equipe de vendas.

Agora que você já sabe o significado, vamos entender como a plataforma de Gestão de Relacionamento funciona.

CRM e o cotidiano do setor de vendas

Certamente, você já deve ter utilizado um manual de instruções, um mapa ou até mesmo um roteiro em algum momento. E você já parou para pensar que a conversa com o seu cliente também pode contar com esse tipo de orientação?

 É, justamente, essa a função do CRM: levar à sua equipe elementos para conduzir a conversa com o cliente de maneira personalizada e direcionada para o fechamento da compra.

Ao conhecer o perfil do seu cliente, você entende a real necessidade do seu público. Com isso, consegue realizar melhorias no seu produto ou serviço.

Por outro lado, o CRM também pode auxiliar o setor comercial caso a compra não tenha sido concretizada. Isso significa que a plataforma vai registrar também as razões que afastaram o cliente. Dessa forma, sua empresa terá elementos não só para iniciar a aproximação com o seu potencial cliente, mas também para analisar o que influenciou o afastamento da clientela.

 Ainda mais, é um sistema corporativo que permite inserir informações pessoais e qual a preferência de compra do seu público. Logo, contribui para o aumento das suas oportunidades de venda.

Portanto, as plataformas de CRM gerenciam informações que são úteis em todo o funil de vendas, ou seja, desde a captação até a decisão de compra.

De maneira geral, pode ser utilizado tanto por empresas tecnológicas, como também por pequenas e médias empresas que adotam processos mais tradicionais.

Como escolher o melhor CRM

Antes de mais nada, há vários sistemas de CRM disponíveis no mercado. Você pode adotar estas dicas quando for escolher sua plataforma de gestão: optar pela plataforma que atenda às necessidades reais da sua equipe, que apresente mecanismo de fácil manuseio e que armazene os dados com segurança.

Além disso, o sistema escolhido deve apresentar layout organizado e de fácil compreensão. Ou seja, os dados disponibilizados devem ser entendidos não só pela equipe comercial, mas também por outros setores. Por exemplo, pelo setor de marketing, que pode consultar o CRM ao elaborar campanhas publicitárias e material de divulgação.

Os sistemas de CRM mais utilizados no mercado

Como dito antes, a plataforma CRM pode ser útil para empresas de diferentes tamanhos.

Em seguida, confira as melhores opções disponíveis.

ZohoCRM

É a melhor indicação para equipes pequenas, com até 3 membros. Apesar de comportar um número bem limitado, é considerado por muitos usuários como o melhor do mercado por apresentar muitas ferramentas e recursos. Outra vantagem, é ter uma versão totalmente gratuita.

RD Station CRM

A vantagem desse software é ser extremamente simples e estar em português. O usuário consegue acessar o conteúdo disponível sem necessitar de conhecimento prévio. Além disso, também oferece uma versão gratuita.

HubSpot CRM

É um sistema muito versátil. Seus recursos atendem tanto equipes menores, como empresas com setores mais numerosos. Além disso, também oferece uma versão de qualidade sem custos.

Conclusão

A sua empresa pode utilizar o sistema CRM em todo o processo de venda. Além disso, oferece melhorias para diferentes setores. Por exemplo, atendimento ao cliente, vendas e marketing.

Se você quer organizar sua empresa e também quer vender mais em menos tempo, mas não sabe por onde começar, entre em contato comigo. Será um prazer te ajudar a alcançar o sucesso!

Fonte – Imagem: www.freepik.com

O que é Branding e por que ele importa para a sua empresa?

branding

Você já se deparou com símbolos e ícones diversos que, sem precisar de qualquer palavra associada, você sabe que representa uma empresa? Seja uma maçã mordida, um cartão roxo ou três listras, fica evidente que estamos nos referindo às marcas Apple, Nu Bank e Adidas.

Mas por que isso acontece? Quais estratégias são criadas para que as pessoas (e clientes em potencial) reconheçam uma marca e se reconheçam nessa marca?

Se você tem um negócio e quer fortalecer a imagem e agregar valor à sua empresa, está na hora de conversarmos sobre o branding. Acompanhe no artigo de hoje!

O que é uma marca?

Antes de nos aprofundarmos no branding, precisamos entender o básico: a marca. Afinal, o que é uma marca?

A definição de marca é:  “Marca é todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços, bem como certifica a conformidade dos mesmos com determinadas normas ou especificações técnicas”.

No entanto, o conceito de marca é mais complexo, afinal, ela é a representação simbólica de uma entidade.

Mas isso não se restringe a um logotipo, uma tipografia, um símbolo. O conceito de marca engloba aquilo que você representa.

Umas das definições mais famosas sobre o conceito de marca, principalmente no marketing, é do Jeff Bezos, CEO da Amazon: “Marca é o que as pessoas dizem sobre você quando você não está no quarto”.

Dito isso, marca é o que você mostra para o mundo e o que o mundo pensa de você.

O que é branding?

Agora que o conceito de marca foi um pouco mais explicado (é importante ressaltar que esse conceito é mais complexo e amplo, porém, no artigo de hoje, vamos focar mais no conceito de marketing), qual é o papel do branding nisso tudo?

O branding é um conjunto de ações e estratégias que uma empresa realiza para transmitir seus valores e cultura, de forma a impactar positivamente seus clientes, o público consumidor, o mercado e, por que não, o mundo.

Essas estratégias são pensadas e geridas para resultado a longo prazo, pois são diversos processos que englobam elementos visuais e textuais de forma a melhorar a percepção do público consumidor em relação a uma marca e, consequentemente, aumentar seu valor no mercado.

Com boas estratégias de branding, uma marca passa a ser estimada e desejada, transformando clientes em fãs, o objetivo de toda marca.

Por que o branding é importante?

É importante que a sua marca tenha uma personalidade e um propósito, afinal, como falamos em outro artigo, as pessoas não são mais consumidoras passivas. As pessoas hoje consomem de marcas e empresas cujos valores e ações correspondam às suas crenças pessoais.

E é importante na criação do conceito da sua marca falar ao público o porquê da sua existência, qual o seu objetivo, como vai impactar e mudar o mundo dessas pessoas.

Lembre-se que uma marca que trabalha bem essa conexão emocional é uma marca que consegue transformar clientes em evangelistas, verdadeiros fãs dispostos a defender uma marca.

Gostou deste artigo e quer mais dicas de marketing para o seu negócio? Então não deixe de acompanhar o meu blog, semanalmente você irá encontrar artigos sobre marketing e empreendedorismo.

Mas, se você quer fazer o seu negócio decolar com estratégias assertivas para o seu segmento, entre em contato comigo. Ficarei feliz em ajudar!