Marketing de Experiência: explore os sentidos do seu Consumidor

marketing de experiencia

Nos últimos anos vimos mudanças significativas na forma com que os consumidores preferem fazer suas compras, tanto quanto em como as lojas se preparam para receber os clientes e apresentar seus produtos e serviços.

Enquanto produtos viraram commoditties, o varejo se voltou para o encantamento. Como abordar, encantar e fidelizar consumidores cada vez mais exigentes?

Neste contexto surgiu, e ganha cada vez mais espaço, o Marketing de Experiência, que envolve os consumidores pela conexão emocional: explora sentidos, sentimentos e pensamentos, estimulando ação e identificação.

“O marketing de experiência — também conhecido como Marketing Sensorial — é uma tática que procura trabalhar a relevância de um negócio para seus clientes, através da percepção de todo o processo de compra, interações e experiências que uma pessoa tem com uma empresa.”
(Rock Content)

Tudo sobre o cliente

Essa estratégia se baseia em construir um relacionamento direto entre marca e consumidor. Entretanto é preciso lembrar: para encantar você precisa conhecer muito bem quem está do outro lado. E aí voltamos novamente para ela, a figura principal das “novas estratégias de Marketing”: a Persona.

Entenda o que é e como delimitar a(s) Persona(s) da sua marca clicando aqui.

A construção da Buyer Persona é de grande importância para fortalecer laços com o consumidor, mas depois de entender com quem você está falando, também é importante construir a humanização da marca. Sua empresa está disposta a genuinamente dialogar, ouvir o consumidor e ter uma relação horizontal? E, como próximo passo, está disposta a ajustar seus processos para implantar o Marketing de Experiência?

Como humanizar o discurso da marca

Não existe apenas uma maneira de humanizar sua marca, mas existem algumas dicas, dentre as quais:

  • Posicionamento

Essa é uma das formas mais abraçadas pelas grandes empresas no Brasil: consiste em assumir uma crença (ou posição) e defende-la não só por meio de sua comunicação, mas através de ações efetivas.

Essa é uma maneira de fazer seus consumidores associarem seus próprios ideais com os da sua empresa.

  • Identificação

Não distante do tópico anterior, a identificação explora os principais interesses e ideias do consumidor. Assim ele se sente parte do universo da marca, e sua vontade de pertencimento se estende até o processo de compra. Comprar de determinada marca passa a ter mais valor do que em uma ocasião sem essa conexão.

“O processo de compra cria estímulos, e esses estímulos geram respostas emocionais que ficam atreladas à experiência de compra.”

Os três V’s do Marketing de Experiência

Assim como temos os 4P’s do Marketing e os 8P’s do Marketing Digital, no Marketing de Experiência temos 3 V’s para direcionar as ações: Verdade, Vontade e Valor.

  • Verdade

Sua marca precisa ser verdadeira na comunicação. Na era do Storytelling, apenas histórias verdadeiras perduram – e convencem!

  • Vontade

A vontade de comprar, interagir ou se relacionar com uma marca parte do consumidor a partir da “verdade” mostrada pela empresa. E essa “vontade” está ligada ao contexto da experiência.

  • Valor

Já o “valor” aborda a percepção que os clientes possuem da experiência e das conexões criadas no primeiro contato com a marca. Neste caso, sim, a primeira impressão é a que fica.

Inove e surpreenda

Ao considerar o Marketing de Experiência em sua empresa, pense em uma ideia que seus consumidores não esperam: o elemento surpresa estará ao seu lado se mantiver em mente a palavra “encantamento”. Inovar não significa apenas inventar novas ações, mas também adaptar ideias ao seu negócio.

“O Marketing de Experiência é uma mistura de todas as sensações pelas quais um cliente passa, desde quando era um desconhecido à marca até se tornar um cliente fiel.”

Porém, como dica final: não limite seu pensamento sobre Marketing de Experiência apenas fazendo, por exemplo, um “Espaço Instagramável” dentro da sua loja. Marketing de Experiência não é uma ação pontual de PDV, mas começa pelo treinamento e envolvimento da sua equipe, a experiência Omnichannel da marca e se estende ao pós venda, ao relacionamento e a estar disposto, o tempo todo, de ouvir e se reinventar.

Te vejo no próximo conteúdo! 🙂

Milena Mancini

4 pontos altos do Marketing Digital em 2019 que vão evoluir em 2020

tendências marketing digital 2020

Revisitar o passado, observando seus acontecimentos, é uma boa forma de estudar como será o desenvolvimento das próximas tendências. Afinal, a curva de aprendizagem dos usuários, pode dizer muito sobre o que vem por aí. Veja como as tendências de 2019 podem gerar novos caminhos em 2020:

1. A inteligência artificial ganha novas dimensões

Diferente do que se imaginava nos filmes do início da década passada, a inteligência artificial ainda não investe em cópias humanas, mas sim na automatização de serviços como forma de facilitar a vida dos consumidores.

Duas boas práticas que ganharam destaque em 2019 foi a automatização dos processos administrativos feitos pelo Walmart e os chatbots com voz, desenvolvidos pela empresa Eleven.

Em 2020, a promessa é de que a experiência do usuário com bots de automação seja ainda melhor e mais satisfatória, trazendo novos produtos e serviços baseados em reconhecimento facial e de voz.

2. A privacidade de dados leva ao atendimento personalizado

Se em 2019 as empresas estavam preocupadas em proteger a Big Data, agora é a vez dos clientes sentirem o reflexo do cuidado com seus dados. Por isso, chats privados para a comunicação com o cliente, que atualmente já são utilizados, tendem a crescer.

O usuário não só quer o sigilo de suas informações, como também poder se expressar livremente em um canal direto com a empresa (sem estar aberto ao público como em um tweet de reclamação ou comentários em posts do Facebook).

Para isso, o Whatsapp Business será cada vez mais requisitado, sendo um excelente mecanismo para levar também promoções exclusivas aos clientes.

3. Do Big Data de nicho a personalização da experiência

A Big Data possibilitou mapear os dados dos clientes em diversos canais e gerar informações relevantes para as empresas.

Agora é a vez de personalizar esses dados, não apenas separando por nichos, mas também por indivíduos.

Segundo pesquisa da Accenture Interactive, 91% dos usuários são mais propícios a fazerem compras de ofertas relevantes aos seus interesses. Uma tendência que pode ser aplicada diretamente em Facebook Ads e e-mail marketing.

4. Depois do sucesso dos vídeos, chegou a vez dos podcasts

Se a alguns anos os vídeos tomaram conta da internet, agora o conteúdo em áudio está em franca expansão.

Do sucesso crescente de streams no Spotify a inteligência artificial aplicada nas casas com Google Home, a tendência é de que surjam cada vez mais produtos para satisfazer a audição, assim como podcasts e áudio-blogs.

Tudo para se adequar a vida corrida do homem moderno, que quer consumir informação de qualidade, porém passa muito tempo em trânsito, por exemplo, e não pode parar para fazer uma boa leitura.

Não existe fórmula mágica, para criar estratégias de valor no marketing digital é preciso que haja muito estudo e análise. O ano de 2020 trará reflexos do que foi implantado em 2019, somado ao comportamento do público e de novas necessidades geradas pelo mercado.

Fique de olho também em realidade aumentada e não esqueça do conceito omnichannel para atingir seu cliente.

Quer saber mais novidades sobre marketing digital? Segue meu perfil no Insta! https://instagram.com/milenamancinimarketing

Um abraço e até breve!

Milena Mancini