A relação entre a conexão emocional e o marketing

conexão emocional

Você já se interessou por um serviço ou produto após ver um comercial ou anúncio de uma peça envolvente, que emocionou ou trouxe boas lembranças? Se já, você com certeza teve um envolvimento emocional com uma marca.

E, apesar de parecer irrelevante, essa é uma das formas mais importante de se conectar com seu público e clientes em potencial: por meio das emoções.

Para você entender melhor a importância da conexão emocional para realizar boas vendas e, claro, destacar-se no mercado, preparamos esse artigo. Acompanhe!

Por que ‘conexão emocional’?

No livro “Marketing 3.0”, o autor Philip Kotler explica que nossa era é a “era dos valores”, portanto, em vez de tratar as pessoas como simples consumidoras, os profissionais de marketing devem tratá-las como o que elas são de verdade: seres humanos plenos, com mente, coração e espírito.

Dito isso, podemos entender que hoje as pessoas não querem mais consumir passivamente. As pessoas estão com seu senso crítico cada vez mais apurado, e procuram consumir de marcas e empresas cujos valores estejam alinhados com os seus.

Para exemplificar, algumas palavras-chave passaram a se destacar no mercado como formas de atribui valores às marcas: sustentabilidade, respeito, acessibilidade, equidade, diversidade, etc.

Você com certeza já viu essas palavras relacionadas à algumas marcas, e elas resumem bem o que Kotler fala sobre o anseio de transformação para um mundo melhor: em um mundo confuso, as pessoas buscam empresas que abordem suas mais profundas necessidades de justiça social, econômica e ambiental em sua missão, visão e valores.

Como criar conexão emocional?

Agora que você compreende melhor o que é a conexão emocional, pergunte-se: quais são os meus valores enquanto empresa? O que tenho a oferecer ao meu público?

Antes de responder essa pergunta, é importante conhecer bem o seu público: o que ele gosta, pelo que ele se interessa, o que defende, o que critica, o que espera do seu serviço ou produto, o que você tem a oferecer para tornar a vida dessas pessoas melhores, o que você pode fazer para contribuir para um mundo melhor.

Não espere fazer coisas grandiosas em um primeiro momento. Pequenas ações já fazem a diferença, como o atendimento humanizado, a honestidade com seus clientes, a demonstração e a prova de que sua empresa e sua marca são de respeito e segurança.

Peça feedbacks (e use-os!)

Ninguém gosta de ser ignorado, certo? Então se você pede feeback sobre um serviço ou produto e se receber uma resposta negativa, não ignore. Pelo contrário, essa é a oportunidade de mostrar os seus pontos positivos, que você respeita o consumidor e que você está sempre disposto a melhorar.

Se você estabelece uma comunicação com seu público, esteja preparado para os dias bons e ruins. Haverão elogios, mas também críticas. Isso não significa que você fracassou, mas que há sempre um ponto que pode – e deve! – ser melhorado. E bom desempenho da sua marca diante da concorrência e do mercado depende disso: do seu consumidor.

Esse artigo foi um pequeno resumo sobre a importância da conexão emocional com as estratégias de marketing. Entenda que atingir o consumidor é a sua meta, mas, para isso, deve-se pensar em estratégias assertivas, efetivas e sinceras.

Se você quer saber mais sobre o assunto e como trabalhar as emoções na estratégia da sua empresa, entre em contato comigo. Ficarei feliz em ajudar!

Marketing de Experiência: explore os sentidos do seu Consumidor

marketing de experiencia

Nos últimos anos vimos mudanças significativas na forma com que os consumidores preferem fazer suas compras, tanto quanto em como as lojas se preparam para receber os clientes e apresentar seus produtos e serviços.

Enquanto produtos viraram commoditties, o varejo se voltou para o encantamento. Como abordar, encantar e fidelizar consumidores cada vez mais exigentes?

Neste contexto surgiu, e ganha cada vez mais espaço, o Marketing de Experiência, que envolve os consumidores pela conexão emocional: explora sentidos, sentimentos e pensamentos, estimulando ação e identificação.

“O marketing de experiência — também conhecido como Marketing Sensorial — é uma tática que procura trabalhar a relevância de um negócio para seus clientes, através da percepção de todo o processo de compra, interações e experiências que uma pessoa tem com uma empresa.”
(Rock Content)

Tudo sobre o cliente

Essa estratégia se baseia em construir um relacionamento direto entre marca e consumidor. Entretanto é preciso lembrar: para encantar você precisa conhecer muito bem quem está do outro lado. E aí voltamos novamente para ela, a figura principal das “novas estratégias de Marketing”: a Persona.

Entenda o que é e como delimitar a(s) Persona(s) da sua marca clicando aqui.

A construção da Buyer Persona é de grande importância para fortalecer laços com o consumidor, mas depois de entender com quem você está falando, também é importante construir a humanização da marca. Sua empresa está disposta a genuinamente dialogar, ouvir o consumidor e ter uma relação horizontal? E, como próximo passo, está disposta a ajustar seus processos para implantar o Marketing de Experiência?

Como humanizar o discurso da marca

Não existe apenas uma maneira de humanizar sua marca, mas existem algumas dicas, dentre as quais:

  • Posicionamento

Essa é uma das formas mais abraçadas pelas grandes empresas no Brasil: consiste em assumir uma crença (ou posição) e defende-la não só por meio de sua comunicação, mas através de ações efetivas.

Essa é uma maneira de fazer seus consumidores associarem seus próprios ideais com os da sua empresa.

  • Identificação

Não distante do tópico anterior, a identificação explora os principais interesses e ideias do consumidor. Assim ele se sente parte do universo da marca, e sua vontade de pertencimento se estende até o processo de compra. Comprar de determinada marca passa a ter mais valor do que em uma ocasião sem essa conexão.

“O processo de compra cria estímulos, e esses estímulos geram respostas emocionais que ficam atreladas à experiência de compra.”

Os três V’s do Marketing de Experiência

Assim como temos os 4P’s do Marketing e os 8P’s do Marketing Digital, no Marketing de Experiência temos 3 V’s para direcionar as ações: Verdade, Vontade e Valor.

  • Verdade

Sua marca precisa ser verdadeira na comunicação. Na era do Storytelling, apenas histórias verdadeiras perduram – e convencem!

  • Vontade

A vontade de comprar, interagir ou se relacionar com uma marca parte do consumidor a partir da “verdade” mostrada pela empresa. E essa “vontade” está ligada ao contexto da experiência.

  • Valor

Já o “valor” aborda a percepção que os clientes possuem da experiência e das conexões criadas no primeiro contato com a marca. Neste caso, sim, a primeira impressão é a que fica.

Inove e surpreenda

Ao considerar o Marketing de Experiência em sua empresa, pense em uma ideia que seus consumidores não esperam: o elemento surpresa estará ao seu lado se mantiver em mente a palavra “encantamento”. Inovar não significa apenas inventar novas ações, mas também adaptar ideias ao seu negócio.

“O Marketing de Experiência é uma mistura de todas as sensações pelas quais um cliente passa, desde quando era um desconhecido à marca até se tornar um cliente fiel.”

Porém, como dica final: não limite seu pensamento sobre Marketing de Experiência apenas fazendo, por exemplo, um “Espaço Instagramável” dentro da sua loja. Marketing de Experiência não é uma ação pontual de PDV, mas começa pelo treinamento e envolvimento da sua equipe, a experiência Omnichannel da marca e se estende ao pós venda, ao relacionamento e a estar disposto, o tempo todo, de ouvir e se reinventar.

Te vejo no próximo conteúdo! 🙂

Milena Mancini