4 tendências que vão abalar o e-commerce em 2022

tendências ecommerce

Se você já possui um e-commerce ou vai começar a estruturar um site para aumentar suas vendas online, que tal ficar atento ao que vai rolar no setor no próximo ano? Neste artigo, vou te mostrar as 4 tendências que vão abalar o e-commerce em 2022. Quer descobrir quais são? Vem comigo!

O e-commerce veio para ficar

O blog da Escola de E-commerce já relatou (aqui), que durante a Pandemia de Covid-19, as vendas aumentaram por meio, principalmente, do comércio eletrônico. 

Só para se ter uma ideia, o e-commerce brasileiro registrou um aumento nas vendas de 72,2% na comparação entre o primeiro trimestre de 2021 e o primeiro trimestre de 2020. A NeoTrust, empresa que se dedica a estudar o varejo, apontou ainda que o mês de março de 2021 foi o maior mês da história em volume de vendas do comércio eletrônico no país. Impressionante, né? 

Mas se você acha que a tendência de compra online vai perder as forças com a retomada do comércio físico, você está enganado.

Mesmo num cenário de Pós-pandemia, a tendência é que esse hábito continue sendo frequente entre os brasileiros, pois o período de isolamento social mostrou até mesmo para pessoas que eram resistentes com o digital, a praticidade em realizar compras online.

Uma pesquisa – publicada em 2020, pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo — revelou que 70% dos consumidores pretendem continuar comprando pela internet mesmo com o retorno total das lojas físicas. E essa constatação já vem se concretizando.

Isso significa uma coisa muito importante: se o seu produto não está disponível em uma plataforma digital, já passou da hora do seu negócio investir nisso. Agora, se você já possui um e-commerce, que tal pensar em expandir e se tornar ainda mais competitivo no mercado? Quer saber como? Venha comigo, vou te mostrar alguns caminhos interessantes.

Veja o que esperar do setor de e-commerce em 2022 e comece a criar as suas próprias estratégias para ampliar as suas forças no digital!

4 tendências que vão abalar o e-commerce em 2022 

Omnichannel

Omnichannel, de forma simples e resumida, é o conceito de integrar todos os canais de venda e personalizar a jornada de compras do usuário. Para você entender melhor: se um cliente compra uma roupa no e-commerce, mas deseja efetuar a troca ou a retirada da peça em uma loja física, isso já pode ser considerado como uma estratégia Omnichannel! 

Tem uma frase que explica bem este conceito: é quando todos os canais estão conectados para atender o cliente da melhor forma possível. Para colocar a estratégia em prática, você deve estar preparado tecnologicamente. É ideal que todas as interações sejam registradas, seja na loja física, virtual, aplicativos ou SAC.

Case: A Amaro, e-commerce de roupas e acessórios, entendeu muito bem a ideia. A marca criou espaços dentro de shoppings para que os consumidores vejam os produtos de perto, experimente-os, façam os pedidos e recebam em suas próprias casas. Muito legal, não é mesmo? Essa ideia é, sem dúvidas, uma ótima oportunidade para pensar como você pode utilizar a estratégia para se destacar.

Voice Commerce

O uso de comando de voz para as compras online não é mais algo do futuro, já é uma realidade! Um exemplo é a Alexa, assistente virtual da Amazon e a Siri, assistente do Google. Aqui, no Brasil, a prática ainda não chegou com tanta força, mas a tendência é que ela cresça de forma expressiva nos próximos anos. Saia na frente da concorrência e comece a se planejar para esta tendência do e-commerce!

Se o assunto ainda lhe assusta, calma! Não precisa ir tão longe para participar dessa tendência. Quem otimiza títulos e descrições do e-commerce, considerando, sobretudo, a forma como uma pessoa perguntaria sobre um determinado produto e entende como atrair a pessoa de uma forma concisa e coerente, já está um passo à frente rumo a ranquear nos resultados de busca por voz.

Se eu pudesse dar um conselho para você se destacar em relação a concorrência seria: comece a pensar em formas de como ajudar o seu consumidor a entender mais sobre o seu nicho de mercado. Parece pouco, mas não é. Essa empatia, sem dúvidas, vai te fazer se destacar no digital.

Você já está fazendo essa pesquisa de palavras-chave e de conteúdo em seu e-commerce? Caso a sua resposta seja negativa, a hora de começar é agora!

Para entender mais sobre o assunto, leia um artigo que escrevi especificamente sobre este tema para a Escola de E-commerce: Como adaptar suas estratégias de SEO para pesquisas por voz.

Logística mais eficiente

Uma logística eficiente pode transformar e potencializar as suas vendas. Não acredita nisso? Saiba que uma pesquisa feita pela Opinion Box e Bornlogic, apontou que 82% dos consumidores abandonam produtos no carrinho por medo que seus itens escolhidos venham com o tamanho incorreto. E mais, outros 78% dessas pessoas fazem o mesmo quando o prazo de entrega é muito longo ou até mesmo quando os custos de entrega são elevados.

As grandes empresas já entenderam essa questão. Não é à toa, que elas investiram em pontos estratégicos para os centros de distribuição.

Case: Atualmente, 30% das vendas do Mercado Livre são entregues no modelo fulfillment, que basicamente se refere a um conjunto de operações e atividades que englobam desde a efetivação da compra até o momento de entrega do produto ao cliente.

O objetivo desse modelo de negócio é garantir a qualidade da empresa em todas as etapas do processo de compra, trata-se de uma estratégia holística para fazer com que o cliente tenha uma boa experiência de compra. Muito bacana, né?

Além do mais, o Mercado Livre, e-commerce mais popular da América Latina, pretende ampliar essa infraestrutura logística até o final de 2022. A organização pretende fazer isso trazendo mais dois centros de distribuição ao país, um na cidade de Franco da Rocha (SP) e outro na capital de Minas Gerais, Belo Horizonte. A empresa já viu a potência do mercado brasileiro e está investindo pesado no contexto nacional.

Dentro, aliás, desse tema Logística Eficiente, gravei um vídeo sobre Q-commerce – ou Quick Commerce -, outro conceito que veio pra ficar. Assista clicando aqui.

Recommerce

A preocupação com a sustentabilidade já faz, em muitos espaços, parte da jornada de compra dos usuários. Os consumidores, cada vez mais, preocupam-se de onde e como são feitos os produtos que adquirem.

A partir dessa preocupação, surgiu uma tendência importante: o recommerce. A prática, nada mais é do vender na internet objetos usados (ainda com qualidade, claro) para que outras pessoas possam reutilizá-los.  

Por enquanto, o recommerce tem mais forças no mercado fashion. Uma pesquisa divulgada pela ThredUp — a maior plataforma de revenda de moda do mundo — revelou que o mercado de revenda de roupas tem previsão de crescer ao menos cinco vezes mais do que o cenário atual até o ano de 2024. Isso acontece porque a vestimenta é um utensílio, que mesmo em bom estado, é esquecido nos closets com facilidade pelos consumidores.

Muitas pessoas acumulam peças dos mais variados estilos em seus armários, a ideia de se livrar do acúmulo e ainda ganhar algum dinheiro com isso, têm levado os consumidores a perceber que a sustentabilidade pode sim ser rentável financeiramente. Todos ganham, né? Elas já perceberam que é possível ser consciente e lucrativo ao mesmo tempo. Com isso, o consumidor ganha por pagar um preço justo e a pessoa que vende o objeto também. Bom negócio, né?

Case: O Enjoei e a OLX são os marketplaces mais famosos para vender desapegos no Brasil. As pessoas criam seus próprios perfis e anunciam os produtos que desejam repassar.

No Enjoei, por exemplo, é possível ranquear os vendedores com notas. Assim, quando um usuário tem uma boa experiência de compra, ele pode avaliar o vendedor positivamente na plataforma, fato que ajuda outros usuários a terem mais segurança ao efetivar uma compra com essa pessoa.

Mas o contrário também é verdadeiro. Se a pessoa compradora tiver uma experiência ruim, seja pela demora da entrega ou por problemas com o pagamento, ela pode avaliar negativamente a experiência que teve, o que vai dificultar com que o vendedor efetive mais vendas. Excelente estratégia, né?

Uma verdadeira mudança de comportamento

O mais importante dessa tendência é que a ideia de revenda, sem dúvidas, mostrou-se como uma importante mudança no comportamento dos consumidores. O futuro pede atitudes sustentáveis e o Brasil caminha, cada vez mais, para isso. Já diria o empresário Horatio Nelson Jackson: “Não se pode fazer o trabalho de hoje com métodos de ontem para estar nos negócios amanhã”.

A reinvenção é a palavra-chave para um negócio se manter competitivo no cenário contemporâneo. E as atitudes sustentáveis vão muito além do recommerce, hein. Há muitas formas de unir os lucros com práticas sustentáveis. Para fazer isso, a criatividade e a inovação precisam brilhar.

Essas 4 estratégias, no meu ponto de vista, têm tudo para abalar o e-commerce em 2022. E você, quais tendências para o setor de e-commerce, você vai aplicar em 2022? Deixe aqui nos comentários. Até a próxima!

O TikTok é para o meu negócio?

tiktok

De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa alemã Statista, especializada em dados de mercado e consumidores, o Brasil é o segundo país que mais utiliza TikTok, ficando atrás apenas da China, país de origem.

Conhecida por ser ter como maior base de usuários o público jovem, a rede social vem sendo utilizada aos poucos por empresas que veem nela uma oportunidade de expandir a marca e explorar diferentes conteúdos.

Mas você sabe se essa rede social serve para o seu negócio?

Quem usa o TikTok?

A rede social é extremamente popular entre os jovens, que consomem vídeos de dança, humor, exercícios, estilo de vida e etc. Entre os mais velhos, os vídeos mais consumidos são aqueles que apresentam instruções – seja culinária, manutenções, limpezas, etc.

Por que o TikTok faz tanto sucesso?

O TikTok surgiu a partir do maior consumo de conteúdos digitais curtos e eficazes em formatos de vídeos e com áudios, que conquistam a atenção dos usuários e permitem uma grande interação.

A partir disso, a rede social uniu os dois formatos em uma plataforma de entretenimento para videos curtos de 15 a 60 segundos, priorizando o enquadramento vertical.

E para as empresas?

Com mais de 1,1 bilhões de usuários, o TikTok oferece um grande potencial para diferentes estratégias de marketing para empresas de diferentes segmentos.

O conteúdo gravado para Reels do Instagram, por exemplo, pode ser melhor trabalhado para o TikTok, cujos algoritmos favorecem a entrega do conteúdo e aumentam o engajamento, já que a rede facilita o compartilhamento dos vídeos em diferentes plataformas.

TikTok for Business

Desde junho de 2020 o TikTok vem oferecendo diversas ferramentas para as empresas, como o TikTok for Business, criado especialmente para empresas que desejam utilizar a rede social para aplicar suas estratégias de marketing.

Entre as vantagens destacadas pela própria empresa, a conta comercial oferece a possibilidade de infinitas descobertas, conhecer tendências, gerar reconhecimento da marca e aumentar as vendas através da criação de estratégias de conteúdo sólidas.

Além disso, a rede possui sua própria biblioteca de músicas comerciais (Commercial Music Library), com um acervo de mais de 500 mil músicas e efeitos sonoros do mundo todo, extraídos dos principais artistas e produtoras musicais, com os mais variados estilos e gêneros.

E o melhor de tudo isso? Todas as músicas da CML são previamente liberadas para uso comercial na plataforma, isentando o usuário do processo burocrático de obter licenças.

E para o meu negócio?

Apesar da plataforma ser popular entre os jovens, nós vimos, ao longo do texto, que outros públicos de diferentes faixas etárias podem ser facilmente atraídas. Tudo depende de realizar pesquisas com seu público alvo, criar estratégias sólidas de conteúdos e, claro, utilizar a plataforma com sabedoria para que você não ridicularize a própria marca.

Por isso, realize testes com o TikTok utilizando as ferramentas comerciais e conheça as principais tendências de conteúdo para o seu segmento.

Seja moda, móveis, decoração, artigos para escritório e demais segmentos, todos tem espaço no TikTok e você também pode encontrar o seu!

Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre estratégias de marketing para destacar a sua empresa? Então agende uma Consultoria comigo!

Aumente sua vendas com Stories do Instragram

instagram-stories

Você tem um negócio e quer saber como vender mais utilizando o Instragram? Então me acompanhe que o post de hoje é para você!

Há anos o Instagram é uma das redes sociais mais utilizadas para vendas pois, ao priorizar fotos e vídeos, facilita a divulgação de um produto e todas as suas possibilidades de usabilidade, possibilitando a exposição do produto em todos os seus ângulos.

Para lojas de roupas, por exemplo, o Instagram é uma ótima ferramenta para mostrar combinações diferentes com peças de venda e atrair clientes em potencial com essas sugestões.

E quem trabalha com as redes sociais sabe que um dos principais recursos da plataforma é o Instagram Stories, ferramenta de maior engajamento e amplamente copiada por outras plataformas como Facebook e Instagram.

Mas você sabe como utilizá-la a seu favor?

Compartilhe conteúdo atraente

Para cada nova plataforma utilizada, ouvimos a mesma frase: ‘crie conteúdo atraente’. Mas o que é um conteúdo atraente para uma empresa, principalmente para uma pequena empresa?

Sendo a quarta rede social mais utilizada do país, o Instagram, enquanto estratégia, tem como função aproximar uma empresa do seu público. Dessa forma, você não apenas conhece melhor seu público e suas necessidades, desejos e expectativas, como, também, tem a oportunidade de mostrar os bastidores da empresa.

Dito isso, conteúdos que atraem são conteúdos que mostram o que está por trás daquele produto tão bem feito e indicado. Que tal mostrar o processo de confecção do seu produtos? Ou como é a rotina dentro da empresa?

Adicione tag de produtos

A maioria das pessoas não quer sair de uma rede para entrar em outra somente para conferir uma informação que já poderia ter sido dada. Então, evite redirecionar seu público para outros endereços e insira tags de produtos nos stories. Assim você já mostra os preços e especificações dos produtos e mantém o usuário em seu canal para que ele possa conferir outros produtos do seu catálogo.

Atendimento de qualidade

Nem sempre conseguimos responder todas as dúvidas a todo o momento e isso é totalmente compreensível. Mas ignorar completamente um futuro cliente é um grande erro e, afinal, ninguém gosta de sentir que está falando sozinho, concorda?

Então faça o possível para responder as DMs (direct messages) sempre que possível, e lembre-se de ser cordial e atencioso, proporcionando um atendimento de qualidade em todos os seus canais.

Envolva o cliente

Uma ótima forma de aumentar o engajamento e conquistar novos fãs é compartilhar vídeos e fotos dos seus clientes utilizando os seus produtos. Importante ressaltar que essa ação só deve ser feita com o consentimento do cliente, então, entre em contato solicitando o compartilhamento e marque o arroba do seu comprador.

Abra caixinhas de perguntas

Recurso extremamente popular nos stories, as famosas caixinhas de pergunta é uma ótima forma de aumentar o seu engajamento, seja para criar a ansiedade para o lançamento de um novo produto, anunciar uma grande novidade e, claro, conhecer melhor o seu público e seus gostos.

Neste artigo você viu as possibilidades do Instagram Stories para aumentar o engajamento da sua marca e realizar mais vendas. São práticas simples, mas que devem ser levadas a sério, afinal, você está aqui para e por conta do seu cliente. Então, ao trabalho!

Quer ler mais conteúdos como este? Acompanhe o meu blog, toda semana tem conteúdo atualizado para você entender mais sobre Marketing Digital. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato comigo, estou aqui para te ajudar.

E-commerce: Estratégias de marketing para Black Friday

black_friday

Uma das datas mais importantes do varejo, a Black Friday este ano será no dia 26 de novembro e é uma ótima oportunidade para realizar grandes vendas.

Porém, com a popularidade, a data também virou alvo de polêmicas por fraudes, quedas de sites, vendas erradas, entre outros problemas que, infelizmente, tornaram-se comuns no evento.

Para evitar a repetição de problemas assim, separei algumas dicas básicas para você aplicar em suas estratégias e garantir uma Black Friday tranquila e com ótimos resultados!

Revise seu estoque

Antes de anunciar um produto com desconto, sempre confira se o seu estoque está abastecido e se você está em condições de suprir as vendas. Lembre-se que nessa data, a probabilidade de grandes vendas é altíssima e você não quer desapontar um cliente em potencial, não é mesmo?

Honestidade

Uma das principais reclamações sobre a Black Friday são os descontos que não são descontos”, o que gerou a alcunha de “Black Fraude” para a data. Portanto, seja honesto com seu público consumidor, ofereça descontos reais e esteja disponível para atendê-los e tirar suas dúvidas quanto aos valores.

Oriente sua equipe

Falando em atendimento, é imprescindível que você oriente sua equipe em todos os setores, para que todos estejam cientes de possíveis contratempos e como preveni-los. Dito isto, certifique-se de que todos os departamentos estejam em sintonia desde o primeiro contato com o cliente até a entrega do seu produto.

Marketing

As estratégias de marketing devem ser trabalhadas com muita antecedência, porém, na semana da Black Friday é importante um trabalho assertivo nas plataformas digitais. Assim, que tal tematizar suas redes com assuntos da Black Friday e utilizar o e-mail marketing? É uma forma eficiente de lembrar o consumidor da data que se aproxima e que você faz parte do evento, oferecendo ótimos descontos e um atendimento impecável.

Remarketing

Na Black Friday o número de carrinhos de compra abandonados em lojas online é enorme. Isso pode acontecer por diversos fatores, mas uma coisa é certa: o cliente estava disposto a efetivar a compra. Mas em vez de procurar justificativas para essa desistência, que tal fazer o remarketing?

O remarketing é, resumidamente, uma estratégia que sugere refazer o marketing para um determinado consumidor baseado em seu comportamento anterior. Em termos práticos, é uma forma de lembrar o consumidor de seu interesse nos produtos que abandonou no carrinho de compras.

Dessa forma, você pode oferecer um desconto exclusivo ou despertar o seu interesse com a estratégia da escassez do produto, queima estoque, etc.

Pós Black Friday

Passada a loucura da Black Friday, não esqueça do seu cliente, nem mesmo do cliente em potencial que não efetivou a compra. Entenda seus comportamentos e elabore uma estratégia para engajar e fidelizar esses dois perfis de consumidores.

Com estudo e paciência, você consegue atrair diferentes clientes e fortalecer o relacionamento com ambos, mostrando que você está à disposição para oferecer não apenas bons produtos, mas um atendimento de excelência.

Agora que você anotou minhas dicas, é hora de colocá-las em prática!

Aproveite essa semana para organizar suas estratégias e boas vendas!

Como a sua marca deve agir durante uma crise?

crise_digital

Na semana passada, falei por aqui sobre alguns passos sobre como fazer uma boa gestão de crises nas redes sociais. O primeiro passo, como citei anteriormente, é o seguinte: a gestão de crises começa muito antes da crise se instaurar, é preciso mapear situações para evitar que isso ocorra. Mas se ocorrer, as soluções já devem estar mapeadas. Neste artigo, vou me  a sua marca deve agir durante uma crise. Vem comigo!

Leia mais: Produzir conteúdo é essencial para o seu negócio se destacar no digital.

Por que você deve ficar atento ao que acontece na web?

Com a Web 2.0, o consumidor passou a ter maior influência na gestão das marcas. Seu comportamento social na internet possibilita o aumento de engajamento com as marcas, em virtude da interação e do relacionamento, é o que revela um estudo, feito na Escola de Economia da USP, dos pesquisadores Alexandre Borba Salvador e  Ana Akemi Ikeda.

O que é, de fato, uma crise? 

A crise, segundo diversos pesquisadores, é um evento não rotineiro, inesperado e repentino, que cria incertezas, ameaça os objetivos prioritários da organização, pode causar prejuízos financeiros e corroer a reputação corporativa.

Por que as marcas precisam se preocupar com eventuais crises? 

O aumento da ocorrência das crises de marca, o crescente empoderamento dos consumidores como geradores de mensagens de marca e, sem dúvidas, o aumento da velocidade, volume e variedade das informações exigem uma maior habilidade dos gestores no uso das informações e nas tomadas de decisão relacionadas à gestão de crise.  

O que fazer para evitar uma crise? 

Mesmo diante de monitoramentos diários, crises podem ocorrer, por isso, é importante caso a sua marca caia numa eventual adversidade, adotar alguns comportamentos, como: comunicar com a mesma linguagem em todas as plataformas. 

É imprescindível que neste momento sua marca pause todas as campanhas que estiver rodando nas redes sociais, já que elas podem potencializar a repercussão da crise ou até mesmo passar a impressão de que a marca está indiferente a situação causada. O momento é de reflexão, o meu conselho é: espere a poeira baixar…

Como a sua marca deve agir durante uma crise?

Se a sua marca cometer um erro, é normal que os usuários esperem um posicionamento dela. Ser indiferente nunca é a solução, o ideal é adotar um comportamento ágil, mas que dê conta de dar um posicionamento claro e objetivo sobre o que, de fato, ocorreu.

 Se você tiver um posicionamento incoerente, assuma o equívoco e busque formas para mudar de comportamento e mostrar aos consumidores que a marca está aprendendo. 

Lembre-se: é absolutamente normal errar, o que não dá é para culpar outra pessoa ou fingir que não aconteceu, hein. Nunca subestime o consumidor.

Neste artigo, você viu a forma adequada de como a sua marca deve agir durante uma crise. Quer mais dicas como essa? Fique de olho no meu blog, toda semana tem conteúdo novo para você. Se ficou com alguma dúvida, entre em contato comigo.