3 passos para o seu negócio sair na frente da concorrência

concorrencia_empresarial

Para fazer a sua loja virtual ter sucesso, o primeiro passo que você precisa entender é o seguinte: a web é um mar de possibilidades. Com ela, você tem acesso a uma rede inesgotável de usuários, que podem, caso sejam cativados, se tornar novos e-shoppers. Neste artigo, vou te explicar, de forma objetiva, 3 passos preciosos para você sair na frente da concorrência. Vem comigo!

Não deixe de conferir: Vale a pena investir no Reels do Instagram?

3 passos para o seu negócio sair na frente da concorrência

Invista em uma produção de conteúdo de qualidade

Antes de oferecer o seu produto, você precisa conquistar seu possível consumidor. Para tal, crie um blog para o seu e-commerce, publique, com consistência, conteúdos que podem ajudar o seu usuário a entender melhor o seu nicho de mercado. Mostre que você se importa com ele — isso vai fazer a diferença no seu negócio.

Se você precisar de ajuda para fazer isso, eu tenho uma sugestão mega importante: a Projetual – empresa em que atuo como CEO – é especialista em produção de conteúdo para web. Todos os profissionais são escolhidos a dedo por mim e sabem produzir conteúdos sobre marketing digital e marketing de conteúdo como ninguém.

Assista também: Como escolher o Influencer certo para meu negócio?

Deixe seus canais digitais atrativos para que os usuários achem o seu negócio atrativo

Boa redação, layout atrativo e uma identidade visual coerente é essencial para fazer com que o internauta crie interesse pela sua loja virtual e queira saber mais sobre o seu negócio.

Além desses critérios, a pesquisa é um elemento essencial para o sucesso do seu negócio. Afinal, você vai precisar pensar na jornada de compra do seu usuário e elencar elementos que provoquem uma melhoria considerável neste percurso.

Tenha um atendimento personalizado

Para ter sucesso em seu negócio, você também vai precisar de um atendimento personalizado. Encontre formas para ajudar o seu cliente a sanar todas as dúvidas dele. Muitas vezes, um trabalho de escuta ativa pode fazer a diferença para você não perder a venda (ou o cliente).

Monitorar sua marca é essencial para ajudar seus clientes, reconhecer erros e até mesmo prevenir crises.

Além do mais, saber o que acontece nas plataformas digitais do seu negócio pode ser uma excelente alternativa para que você possa entender se sua empresa está conseguindo manter a comunicação efetiva com seus clientes. Lembre-se: uma escuta ativa pode ser a chave para que o seu negócio saia na frente da concorrência.

Quer ler mais conteúdos como este? Acompanhe o meu blog, toda semana, eu publico conteúdo atualizado para você entender mais sobre Marketing e Digital. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a gente, estou aqui para te ajudar.

Investimentos em Diversidade nas empresas ainda são baixos, diz pesquisa

diversidade nas empresas

Já faz tempo que percebemos que a diversidade é uma pauta relevante para as empresas e seus públicos. Hoje em dia, as marcas são cobradas não apenas por mensagens positivas de inclusão, mas também por promover na prática a diversidade nas empresas, estabelecendo programas e ações de impacto.

Mesmo assim, a preocupação com o assunto ainda não gerou uma movimentação geral e consistente entre a maioria das grandes empresas.

Diversidade nas empresas ainda é desafio

Um estudo realizado pela consultoria Mais Diversidade percebeu que a inclusão e diversidade nas empresas são principalmente aplicadas em ações pontuais e não através de um programa bem estruturado, como seria desejado.

A amostra da pesquisa buscou empresas brasileiras com grande número de colaboradores e presença forte em seus segmentos. Foram 293 organizações nacionais e multinacionais, presentes em até 34 países.

93% delas afirmou que pretende ampliar ou manter seu investimento em integração e diversidade. Ou seja, a grande maioria percebe a emergência desse assunto. Ao mesmo tempo, só 35% delas possuem uma estratégia planejada, uma integração de políticas consistentes e monitoradas em toda a companhia. O que mais acontece são ações pulverizadas, distribuídas pontualmente.

A presença de uma área focada em inclusão e diversidade nas empresas entrevistadas é realidade em apenas 28% delas. Geralmente, as ações acontecem apenas como parte do RH, não como parte de uma visão perdurável da empresa.

A preocupação é o mundo atual

A principal preocupação do momento passa pela promoção de inclusão e igualdade racial: 33% das empresas entrevistadas colocaram este como o maior desafio para 2021. A pesquisa mostra que o debate levantado pelos movimentos antirracistas em 2020, como o #BlackLivesMatter, foi o principal motivador para essa preocupação.

Há pouco falei aqui no site sobre como deve ser o mundo no pós pandemia. Já sabemos que o público das marcas, consumidores ou não, esperam que elas estejam cada vez mais engajadas com questões sociais. A inclusão e diversidade nas empresas certamente está no radar.

Sabendo disso, não é apenas uma questão de imagem para as empresas, mas de utilizar sua presença para atuar positivamente em questões pertinentes para a sociedade. Com isso, o valor da marca perante o público só cresce.

Um bom exemplo

Atualmente, a Natura é uma empresa bastante lembrada por suas ações de diversidade. Inicialmente, ela se destacou na 1ª edição do Guia Exame de Diversidade por suas iniciativas com pessoas com deficiência. Isso se concretizou em ações estruturais: a meta de 2020 foi chegar a 8% do seu quadro de colaboradores preenchidos por este perfil.

Uma ação da empresa que ganhou bastante repercussão recentemente foi convidar um homem transsexual para seu comercial de Dia dos Pais de 2020, indicando para a diversidade nos consumidores da marca. Segundo alguns analistas de mercado, o conteúdo reforçou a imagem de inclusão e fez subir as ações da Natura na bolsa de valores.

Enquanto uma profissional em posição de liderança em minha empresa, a Projetual Comunicação, considero essencial o foco em iniciativas de diversidade nas empresas. Não é apenas uma questão de “moda”, mas de necessidade com questões emergentes no mundo e, sobretudo, oportunidades. Temos aberto mais nossos olhos para questões sociais no dia a dia. ´Precisamos entender de onde vem esse clamor, entender nossos ouvintes. As marcas, claro, devem fazer o mesmo e exercer o papel que podem, já que poderão ser cobradas por isso.