Uma liderança inspiradora pode fazer a diferença em sua empresa

lideranca

Nem sempre a remuneração é o motivo principal para que as pessoas escolham um trabalho. Estar num espaço que incentiva a diversidade, com pessoas que apoiam a liderança e o bem-estar dos colaboradores também são peças que vêm se tornado, cada vez mais, fundamentais para o sucesso de uma empresa. Neste artigo, vou falar sobre liderança inspiradora e como estimular este comportamento no ambiente organizacional. Venha comigo!

Não deixe de conferir: O digital pode te ajudar a superar crises

Uma liderança inspiradora pode criar novos líderes

A motivação é a peça-chave para conquistar confiança, engajamento e resultados positivos. E, para fazer isso, você precisa investir na capacitação de líderes capazes de inspirar confiança e também criar novos líderes e oportunidades.

Ao longo da minha carreira na área de comunicação, já vi muitos empresários investindo fortemente em marketing digital e em uma comunicação externa bem estruturada. Mas isso só funciona quando a comunicação interna também colhe bons frutos.

Lembre-se: o seu primeiro cliente é o seu colaborador, é ele quem vai falar (com muita propriedade) sobre a cultura organizacional da sua empresa, por isso, investir num ambiente saudável e justo é essencial para a imagem da sua organização.

Além do mais, é preciso pensar no seguinte: sua empresa é feita de pessoas. São os colaboradores que farão o sucesso (ou fracasso) da sua organização, por isso, é extremamente importante estimular os pontos fortes da sua equipe. Você sabe como ajudar o seu time a desenvolver suas forças?

Como despertar o melhor da sua equipe?

Empatia, coragem, reconhecimento e assertividade são pontos-chaves que os líderes devem ter no relacionamento com os liderados. Quem deseja despertar o melhor de uma equipe deve estar atento para as necessidades dela.

Um líder inspirador é aquele que motiva as pessoas a liderarem e se tornarem protagonistas em suas redes. Quando a pessoa se sente motivada, ela entende que faz parte da cultura de uma empresa e, com isso, busca entregar o seu melhor para a organização.

Para despertar o melhor da sua equipe, um ponto importante é o feedback. Uma avaliação positiva pode mostrar a pessoa que ela está seguindo o caminho certo.

Quando o feedback é feito da maneira correta, tanto o líder quanto o liderado ganham com isso. Mas é importante ter em mente que o feedback não se resume apenas em apontar erros ou fazer elogios. É muito mais do que isso, trata-se de um retorno honesto, pautado em fatos e ações. Para isso, você precisa observar sua equipe com cautela e entender como você pode guiá-la para o sucesso.

Pessoas motivadas e engajadas trazem resultados positivos

Muitos empreendedores me procuram porque desejam que suas empresas tenham uma marca forte e sólida no mercado. Mas isso só acontece quando a empresa tem uma base sólida. Quando um time dá o seu melhor, os resultados também são melhores, por isso, dê feedbacks periódicos, invista em um ambiente saudável, estimule a troca e a colaboração em sua empresa.

Gostou do que leu e precisa de ajuda para criar um plano de comunicação forte que englobe aspectos da comunicação interna e externa? Entre em contato comigo. Além de uma consultoria, posso te ajudar a criar as melhores estratégias para o seu negócio se tornar referência em seu nicho de mercado.

Como se define uma empresa Resiliente

empresa resiliente

Não existe fórmula mágica para ter sucesso em um empreendimento. Visão, imaginação e adaptabilidade devem fazer parte do vocabulário de toda e qualquer empresa Resiliente.

Já falei por aqui sobre como esses valores são importantes em tempos de transformações globais, que clamam por reinvenção. E não há momento mais importante para colocar isso em prática do que o nosso.

Quando falamos no termo empresa resiliente, falamos daquele negócio que consegue passar pelas adversidades e sair fortalecido. E isso não tem a ver com sorte. É o que diz a McKinsey & Company, uma consultoria financeira administrativa global com 95 anos de experiência.

Como superar os momentos de crise

Responder, Retornar e Reimaginar. Essas são as ações necessárias para passar por crises e sair forte.

A primeira etapa se trata de manutenção, de procurar respostas para se manter funcionando. Depois é preciso buscar a retomada, aproveitando oportunidades viáveis para recuperar espaços perdidos. Por fim, é necessário repensar e reinventar estratégias e ações para se adaptar ao novo contexto que se desenha.

Todas essas estratégias têm a ver com o nosso momento de gestão da crise da pandemia do coronavírus, uma crise sem precedentes. Segundo a McKinsey, estamos ainda no período de “Reabertura Parcial”, com recuperação em partes do consumo e operações físicas. Já passamos pela etapa mais crítica, a do “Fechamento”, mas a etapa do verdadeiro “Novo Normal” só deve aparecer com o fim da crise de saúde e a consequente retomada completa no consumo.

O que torna uma empresa Resiliente

E para responder, retornar e reimaginar, uma empresa resiliente é aquela capaz de tomar 5 atitudes específicas, segundo a McKinsey.

Vale dizer que a consultoria não chegou “do nada” nessas 5 atitudes, mas elas foram observadas nas empresas que se recuperaram da crise de 2008.

1º: Cuidar do caixa

Em qualquer crise financeira, segurar o caixa é o primeiro passo. O investimento em bens de capital (CAPEX, na sigla em inglês) é desacelerado num primeiro momento, para preservar a liquidez da empresa e manter as operações essenciais funcionando. Na sequência, esse investimento sobe para liderar a retomada.

Essa ação explica parcialmente algo que aconteceu (e ainda acontece) em relação aos investimentos em marketing na pandemia. Depois de queda nos primeiros meses, a retomada das ações de marketing já acontece para muitas empresas.

2º: Reestruturar para recuperar

Um novo contexto gera uma nova cadeia de gastos. Por isso, os custos da empresa devem focar primeiramente no essencial: a produtividade. Deve-se lançar um plano de recuperação de vendas a partir do cenário desenhado, buscando disciplina e certa previsibilidade.

3º: Ter visão estratégica

A resposta inicial a crise precisa ser abrupta, mas uma empresa resiliente se constrói com visão. Por isso, é necessário manter investimentos e ações críticas para resultados futuros, pensando no longo prazo. É essa visão estratégica que vai ajudar a empresa a sair na frente quando um cenário mais positivo se apresentar.

Não há nada errado em pensar em expansões durante um momento de crise, já que elas serão necessárias quando a oportunidade se apresentar. Contudo, isso só é possível depois de fazer o “dever de casa” das etapas anteriores.

4º: Planejamento e estudo para aproveitar

Quando oportunidades estiverem no radar da empresa, prevendo um bom retorno de investimento, uma empresa resiliente que geriu a crise corretamente vai ser capaz de aproveitar o que se apresenta. Aqui surgem as aquisições, fusões e realocações para áreas estratégicas que podem moldar o futuro.

5º: Adaptar a maneira de funcionar

Em uma empresa resiliente, vários processos devem passar pela adaptação que os momentos pedem. Seja para adaptar o fluxo de produção ao ritmo dos recursos ou das demandas, para cuidar dos colaboradores (o home-office durante a pandemia tem a ver com isso) ou atender ao novo consumidor.

Vale lembrar também que o público atual é muito mais digital e está se transformando rapidamente, ficando mais exigente de posturas específicas. Essas são mudanças que vieram pra ficar, resultados do contexto em que estamos.

Como está a resiliência da sua empresa?

Não é possível ter sucesso em qualquer empreendimento sem ler o contexto em que está inserido e responder a ele de alguma forma. É uma máxima que sempre uso em consultorias: o momento pode não ser favorável, mas suas estratégias podem criar respostas que produzirão bons resultados.

E a sua empresa, está fazendo o que precisa para ser uma empresa resiliente? Posso te ajudar a chegar lá e preparar o caminho para o futuro do seu negócio. Vamos conversar!